O corpo em cena.

Desígnio busca refletir sobre o que motiva a interação das linguagens da performance e do desenho.

Na dança-desenho, o grafismo demarca a gestualidade no papel, o percurso do corpo e a sequência de movimentos, usando grafite em bastão, giz pastel oleoso e pigmento em pó.

A improvisação musical gera um ambiente sonoro que dialoga com o rítmo dos movimentos. Nessa performance, o corpo rege o som.
Teatro Tucarena SP, 27 de setembro de 2016.

Fotos: Adriana Guivo